SEJA BEM VINDO AO MEU ESPAÇO

Este blogue é derivado a paixão que tenho pelo futebol e tudo o que o envolve!sendo eu treinador achei por bem criar um espaço onde posso comentar o futebol nacional,distrital,métodos de treino,questões tácticas e trocar opiniões com treinadores, jogadores e amantes do futebol.Espero que seja um espaço do vosso agrado e todos juntos possamos debater futebol e questões que o rodeiam enriquecendo assim o nosso conhecimento.



terça-feira, 16 de junho de 2009

DEFESA Á ZONA

O Barcelona desta época é a prova que grandes equipas ganham campeonatos e o Barcelona da época passada é a prova que grandes jogadores ganham jogos.
A mim parece-me que a identidade que o treinador dá á equipa se concretiza na operacionalização eficaz da sua ideia de jogo e Guardiola serve de exemplo.
Se em termos ofensivos a criatividade é essencial e de grande variabilidade em organização defensiva as coisas são diferentes, e se repararmos as equipas ou selecções que ganham mais vezes tem uma organização defensiva baseada em princípios de defesa a zona.
Como treinador prefiro a zona porque se defendo individualmente a equipa não pensa o jogo colectivamente, e os comportamentos e dinâmicas afastam-nos claramente da intenção de jogar como equipa.
Na defesa a zona, os espaços são a grande referência alvo da marcação, pede-se que a equipa feche os espaços de jogo, o mais importante aquele onde a bola circula, e assim colocar grandes dificuldades a equipa adversária quer espaço quer temporal.
Na defesa a zona a posição da bola e em função dela, a posição dos jogadores são as grandes referencias no posicionamento da equipa, o que se pretende é gerir colectivamente o espaço e o tempo no jogo.
Defendo que os jogadores não devem ter a mesma zona , ate porque os espaços não tem todos o mesmo valor, acredito que cada jogador em conjunto com o companheiro deve fechar diferentes espaços de acordo com a posição da bola.
Defender a zona é universal nos seus grandes princípios, cabe depois a cada um de nos definir os princípios da nossa ideia de jogo nos quatro momentos que são a organização ofensiva, defensiva e as transições ataque-defesa e defesa-ataque.
Para essa defesa a zona ser eficaz e necessário definir as zonas pressionantes onde se quer recuperar a bola, a diferença entre zona e zona pressionante está na agressividade onde se atacam os espaços e o jogador que tem a bola, a intenção é colocar esse jogador sob pressão espaço-temporal para desse modo criar um erro na sua execução e recuperar a bola, ou seja prepara-se a defesa para atacar imediatamente, mesmo sem bola somos nos que controlamos o jogo.
Claro que existe caracteristicas essenciais para se defender a zona, boa leitura em termos de posicionamento, capacidade de antecipação, e após a recuperação o primeiro toque tem que ser orientado para o principio da transição e deixo aqui exemplos de jogadores que são perfeitos a faze-lo, Pirlo, Fabregas, Iniesta, Xavi, Nesta.

4 comentários:

Anónimo disse...

Boas João.
Aconselho a leitura de um livro de Nuno Amieiro, baseado na tese de mestrado que fez, com testemunhos de grandes treinadores, sob o título "Defesa à zona no futebol". Prefácio de Jesualdo e Carvalhal. Grande documento daquilo que falas. Já agora uma questão. Achas que é possivel trabalhar a defesa à zona nos distritais (e não falo simplesmente na defesa zona em bolas paradas, mas sim no contexto que muito bem abordas) com microciclos de 3 treinos semanais e com uma cultura de base dos jogadores muito de hxh ou então com um conceito de "zona" diferente, em que simplesmente de ocupa espaço, sem ter a bola como referencia e sem ser a zona pressionante que se pretende, com o jogo de coberturas constante que é a base da zona?
Abraço. Grande tema. Pano para mangas!!
Carlos Guerreiro

Joao Prates disse...

Tudo bem Carlos!

Sem duvida que este é um tema que da para muita discusão.
sim, possuo esse livro e é excelente, dos melhores que já li!

Quanto a tua questão, é possivel sim, mas exige muito trabalho e uma mudança de mentalidade que parte da nossa capacidade de fazer ver que é mais benéfico para a equipa actuar desta forma e fazer com que os jogadores acreditem!
Pelo menos nesta zona a maioria das equipas joga como referes h*h e é dificil mudar essa cultura, num inicio de época e em pre-epoca em que a primeira semana na minha opinião é para ir adaptando os jogadores ao esforço que virá nas semanas seguintes gosto de utilizar circulações tacticas de 4+11 passando pelas diversas fases e explicar a movimentação da equipa consoante o local da bola. definir a nossa zona pressionante mas sinto que é dificil mudar as mentalidades, e a nivel distrital começará pela formaçao essa mudança.
E quanto ao distrital de Beja existe muitas equipas a jogar a zona?

abraço

carlos Guerreiro disse...

No distrital de Beja tens algumas equipas a defenderem as bolas paradas à zona, mas a jogarem em zona pressionante, nenhuma. Podemos aproximar mais o Vasco da Gama da Vidigueira, treinada pelo Acácio, e o campeão Moura, com uma equipa muito acima da média para um distrital. A operacionalização da defesa à zona, trabalhando em microciclos de 3 dias e por vezes sem campo completo, torna-se mais complicada, aliada à cultura implementada de base e, por vezes, à pouca predespusição para a mudança. Nalguns casos, colocas a tua equipa a defender livres laterais à zona, e tens publico e dirigentes a gritar cá de fora que "ninguem marca", transportando para dentro do campo alguma desconfiança , abalada se, por acaso, sofres um golo. Não é fácil mas...vamos tentando! Abraço
Carlos Guerreiro

Diogo de Melo disse...

Atenção que muitas equipas parecem jogar a zona mas jogam com defesa mista! Que para mim será a mais eficaz! Pois disfarça melhor possíveis incapacidades individuais dos defesas ou até mesmo dos médios.
É uma defesa que se pode adaptar a quaisquer mudanças feitas pelo treinador adversário, já a defesa pura de zona, pode ser "contornada" pelo adversário inteligente!
Mas se me perguntarem ZONA ou MAN-MAN, sem duvida ZONA!:)